Certificado Digital

Publicado em

Alguns bons anos me separam dos dias em que eu heroicamente enfrentava a burocracia fiscal e tributária deste país. Mantenho na memória inúmeras discussões com fiscais, contadores e afins, na minha eterna chama juvenil de achar que a razão cartesiana, o tecnicismo moderno e a lógica jurídica pudessem superar as barreiras de um complexo sistema distanciado de sua finalidade objetiva principal.

Eu cansei. Hoje para entrar em uma discussão muito me custa. Não me vanglorio dessa posição apática, muito menos de engrossar as estatísticas dos alienados do mundo moderno, mas a sociedade anda exigindo muito de nós e eu foquei somente em contribuir com as pequenas coisas que estão ao me redor.

Confesso que tenho conseguido dormir tranquila só de saber que reciclo meu lixo e contribuo com uma organização efetiva e socialmente responsável (não vou nem mencionar a sigla ONG porque até isso já nos faz torcer o nariz).

No entanto essa semana voltei a me revoltar. Com uma questão pequena, e de uma forma que me incomoda: revolta sem muito embasamento técnico a suportar meus argumentos. O fato é que me pediram um pouco mais de R$ 400,00 porque eu estaria obrigada a ter um “e-CNPJ” ou seja, uma versão eletrônica do meu CNPJ para garantir a “autencidade e integridade” das minhas transações blá, blá, blá.

OK, não sou contra a tecnologia, não sou contra facilitar a vida dos contadores, mas “oi?” e esse custo para algo que vale só três anos. Porque estou “obrigada” a isso? Ninguém paga para ter um RG, um CPF ou mesmo um CNPJ. Porque tenho de pagar para ter um certificado digital que vai facilitar muito mais a vida do governo do que a minha mesmo? Será mesmo razoável?

As perguntas ficam sem resposta e o empresário é vencido pelo cansaço. Pois após falar com tantas pessoas despreparadas a dar as informações corretas, a entender o seu posto de vista e contra-argumentá-lo, você realmente quer pagar R$400,00 para ficar livre das discussões inúteis e focar nas atividades que vão possibilitar você ter renda para pagar todos esses R$400,00 que nos são abocanhados periodicamente.

Se ao menos isso fosse diminuir o custo da burocracia no Brasil… mas lógico que não, continuamos campeões disparados no ranking de países que mais gastam com burocracia, que mais mantém funcionários para atender às obrigações fiscais acessórias e que, portanto, perdem produtividade e competitividade.

Como empresária gostaria de me tornar menos combativa e revoltada do que como advogada, será que consigo?

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s