Feliz Ano Novo + Férias + Livros

Publicado em

Feliz Ano Novo! Com dezessete dias de atraso, mas não com menos força de expressão.

2012 será o ano da inauguração do MIMO e mais do que nunca fiz votos, promessas e planos… mais do que nunca sonhei com um feliz ano para mim e para todos os que me rodeiam… sonhei em estar plena e satisfeita, mas principalmente em satisfazer e mimar aqueles que poderão ir ao MIMO este ano (e todos os seguintes).

Fiz um recesso de um mês aqui no blog mas não dos meus afazeres diários de montagem do restaurante e acompanhamento da obra. Volto com muitas coisas a contar aqui, apesar de, sim, ter tirado umas férias – 10 dias entre Santiago do Chile e Mendoza.

Este ano vem para mim carregado de expectativas, vem como o troféu daquilo que lutei em 2010 e 2011. Nunca fui de fazer balanços nem de planejar o futuro, mas minha vida deu tantas e diferentes voltas que estes últimos 30 dias tirei para meditar e avaliar, aprender e buscar, planejar e me fortalecer.

Estão vendo porque andei longe daqui? Não queria proferir palavras vazias de auto-ajuda ou ainda impropérios de raiva e insatisfação aos meus leitores enquanto buscava o equilíbrio entre aprender com minha retrospectiva e planejar 2012.

Afinal estou aqui para contar o dia-a-dia de uma obra, da montagem de uma empresa, algumas curiosidades e outras opiniões sobre assuntos diversos desse novo mundo gastronômico que resolvi ingressar, mas só.

E para começar devagar vou contar que férias para mim normalmente significa ler muitos livros. E entre os queridos Orhan Pamuk e o Philip Roth intercalei três livros adorados por gourmets: Ao Ponto do Anthony Bourdain; Sangue, Ossos & Manteiga, da Gabrielle Hamilton (certeza que alguém já deve ter dito que ela é o Bourdain de saias então nem vou me atrever a fazer este comentário); e o curtinho mas gracioso Só os patetas jantam mal na Disney, do Washington Olivetto.

Também não vou fazer nenhuma resenha dos livros já que pessoas mais competentes já as fizeram e basta buscar alguns textos no Google para se inteirar. Só quero dizer que são livros divertidíssimos, de fácil leitura, os dois primeiros com temas complexos colocados de forma leve que combina com férias de verão.

No campo da literatura gastronômica, que comecei a apreciar em 2008, os livros que mais me surpreendem positivamente ainda são os auto-biográficos. O Bourdain não perde a mão nessa continuação de seu livro de estréia, o best-seller Cozinha Confidencial. E a Gabrielle é cor e sabor, é a alma feminina contemporânea, sem pieguices, longe de estereótipos e com complexidade de desafios ímpar. Assim como o é o Prune, seu restaurante em Nova Iorque.

Aliás se tiver que escolher em visita à cidade, vá ao Prune da Gabrielle e não ao Les Halles que não é mais chefiado pelo Bourdain mas ainda nada muito no sucesso dos livros dele (aos marmanjos de plantão, eu já jantei ao lado da Natalie Portman lindíssima lá, e ela é frequentadora assídua).

E mais dicas não dou aqui porque Washington Olivetto faz isso com muito mais prosa em “Só os patetas jantam mal na Disney”. Vá com fé, você devora o livro em meia hora e já fica pensando como vai fazer para ganhar dinheiro (em um pouco mais de meia hora) que seja suficiente para visitar todos os lugares que ele cita.

Boa leitura!

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s