Mês: Agosto 2012

Atendendo a pedidos

Publicado em Atualizado em

E já que eu recebi uma mensagem divertida falando das escolhas musicais para os diversos posts, resolvi agraciar meu leitor (sim aqui a gente faz post pra um único leitor) com a lista dos vídeos já postados desde o início do blog.

Estranhamente alguns dos links estão com problemas e levam sempre a um mesmo vídeo do YouTube. Como meus conhecimentos em TI são poucos pra quase zero, não consegui arrumar e nem vou perder muito tempo com isso.

Isso significa dizer que se você for a algum post e só tiver música do The Vaccines a culpa é do WordPress, capisce?

Por outro lado, como sou organizada, tenho uma planilha com os vídeos corretos que coloco aqui para que este meu leitor possa avaliar meu gosto musical. Caso não seja aprovado, peço que ainda vá ao MIMO quando abrir: meu gosto para comida é mais apurado, OK?

DATA POST MÚSICA ARTISTA
31/8/12 Chá de cozinha Little by little The Wannadies
31/8/12 Chá de cozinha Bohemian like you The Dandy Warhols
31/8/12 Chá de cozinha What you know Two Door Cinema Club
31/8/12 Chá de cozinha Y do U call me Colleen Green
31/8/12 Chá de cozinha The end of the world The Cure
31/8/12 Chá de cozinha Heart of Glass Blondie
30/8/12 Sentando seus males espanta Jambalaya Fats Domino
29/8/12 Pé na Jaca Vaca Estrela e boi Fubá Pena Branca & Xavantinho
29/8/12 Pé na Jaca Cuitelinho Pena Branca & Xavantinho
28/8/12 Aqueles Dias Did You no Wrong Sex Pistols
24/8/12 Das coisas que aprendi Love will tear us apart Peter Hook & The Light
24/8/12 Louros aos merecedores Hold On Alabama Shakes
17/8/12 São Lourenço apresenta: o MIMO Oda a San Lorenzo Under the Tuscan Sun – The movie
17/8/12 Ficha técnica Cry Baby Janes Joplin
14/8/12 Sim. Repita. 1 ano e 1 mês Teenage Icon The Vaccines
14/8/12 Quanto tempo Crying, Waiting, Hoping Cat Power
3/5/12 Whatever Whatever Oasis
13/3/12 8 meses Edwyn Collins A girl like you
13/3/12 8 meses Simple Song The Shins
13/3/12 8 meses Heart to Tell The Love Language
13/3/12 Shokunin Jiro Dreams of Sushi Official Trailer
5/3/12 Bebendo calorias Everybody Hurts REM
26/2/12 Eu chorei Barber of Seville Roussini
26/2/12 Eu chorei Caprice n. 24 Paganini/Jascha Heifetz
23/2/12 Havaí, porque não? Os Decendentes Trailer
15/2/12 Saudosismo sim, mas não no meu prato, OK? Postcards from Italy Beirut
15/2/12 Saudosismo sim, mas não no meu prato, OK? Never gonna give you up Black Keys
13/2/12 Os muitos milhões Money Pink Floyd
8/2/12 Status quo Em mi piel Buika
7/11/11 A contratar Keep Walking Comercial
20/10/11 Dry Martini Vesper Scene 007 – Cassino Royale
14/10/11 Burocracia e Biscoitos Layla Eric Clapton
15/9/11 Inesquecível! Mande o seu também Dinner Scene American Beauty
8/9/11 Melhor apreciar do que avaliar Treme Theme Song Intro Song
1/9/11 Ainda o Chocolate… Chocolat Trilha sonora
30/8/11 Mensalmente… A insegurança pública Il Padrino The Godfather Theme Song
26/8/11 E o dia da falta de assunto chegou (mas tem receita de pão) Reckless Serenade Arctic Monkeys
19/8/11 Música para clientes Alpha, Beta, Gaga Air
19/8/11 Música para clientes Haiti Arcade Fire
18/8/11 Música para cozinheiros Crazy little thing called love Queen
18/8/11 Música para cozinheiros Sex Machine James Bown
18/8/11 Música para cozinheiros Dancing Shoes Arctic Monkeys
18/8/11 Música para cozinheiros Last Night The Strokes
17/8/11 Música para Cozinhar Ever Fallen in Love The Buzzcoks
17/8/11 Música para Cozinhar One way or another Blondie
17/8/11 Música para Cozinhar Brown Bags Boogaloo Joe Jones
17/8/11 Música para Cozinhar Sympaty for the Devil The Rolling Stones
16/8/11 Julia Child Lobster Julia Child
12/8/11 Sexta-feira, um cineminha em casa? Soul Kitchen Official Trailer
11/8/11 Dia do Advogado The Devil´s Speech Scene The Devil´s Advocate
27/7/11 Alguém teve sede na madrugada Tropa de Elite 2 Trailer

 

E esta abaixo, será que agrada?

Vou confessar que tenho um “consultor” para as trilhas sonoras; mas dessa vez nem usei ele, foi só escolher uma especial.

Chá de cozinha

Publicado em

Logo após o almoço fui expulsa do meu escritório para finalizarem a pintura lá. Taí a prova.

 

Eu fico perdida de ter que trabalhar fora do meu habitat, e por mais que a cozinha bem me recebeu não consigo terminar nenhuma tarefa administrativa aqui.

Então lá fui eu pras minhas planilhas. Percebi que mesmo já tendo ido 11 vezes na C&C, 6 vezes na Leroy Merlin e 19 vezes na Telha Norte, ainda faltam muitas miudezas de obra para eu comprar.

Antes de levantar da cadeira para ir novamente às compras pensei porque mesmo é que não existe “chá de obra” de restaurante? Porque não?

Semana que vem chega a churrasqueira aqui no MIMO. Eu podia organizar uma festinha e distribuir a seguinte lista de presentes, o que vocês acham?

Capachos para as entradas

Lixeiras plásticas pequenas

Lixeiras plásticas de 80 l

Lâmpadas para áreas de passagens

Spots

Prateleiras para escritório e áreas administrativas

Galões de tinta acrílica

Lixas diversas

Tesoura para jardinagem

Rejunte plástico

Cadeados

Capas plásticas

Puxadores para armários/gavetas

Telefones sem fio

Caixa de Correio

Tapetes para banheiros/vestiário

Caixas Plásticas de organização

 

Aproveitem este oferta única porque os chá de cozinha e chá bar têm uma lista bem mais extensa… Facas, pás, pegadores, tábuas, panelas, frigideiras, caldeirões, copos, abridores, GN’s, por aí vai… Amigos, tudo isso preciso de dezenas.

 

Festejando!

 

Sentando seus males espanta

Publicado em Atualizado em

Teve tempo, aliás um longo tempo, em que não era possível sentar no MIMO.

Parece uma coisa boba de se pensar mas o fato é que eu passava horas e mais horas na obra e não tinha uma singela cadeira. Quando batia o cansaço eu sentava no muro, numa pedra, ou no chão mesmo. Não preciso dizer que minhas calças estavam sempre esbranquiçadas de pó, quando não manchadas de lama.

Algumas profissões requerem que a pessoa esteja em pé a maior parte das horas úteis. Não a minha, ou a minha ex-profissão de advogada por assim dizer. Então a ausência de uma cadeira me trouxe dores na lombar e nas batatas das pernas, até que resolvi usar as meias SIGVARIS (uma meia calça concorrente da mais conhecida KENDALL).

O desconforto inicial passa depois de algumas semanas. O embaraço diante do marido/namorado não passa nunca.

Mas quem viu o passeio do São Lourenço pela obra já percebeu que o escritório está montado há algumas semanas e cadeira agora não falta. Mesmo assim a minha alegria era contagiante hoje quando os marceneiros começaram a montar os sofás que irão atender boa parte das mesas.

Até porque me economizará uma parte do discurso de apresentação da obra para os que aqui visitam: tá vendo esta base em alvenaria? aí serão montados os sofás onde estarão mesas de 70x70cm enfileiradas à frente…

Procurando a melhor cadeira.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Se bem que a playlist daqui às vezes anima a dar um voltinha um pouco mais longa por aí.

 

Pé na Jaca

Publicado em Atualizado em

Sou paulistana, filha de pai paulistano e mãe carioca, de avós paulistanos e cariocas, de bisavós portugueses e italianos. Em outras palavras, sou filha típica da cidade grande, criada longe de hortas, pomares, galinhas, porcos…

Meu primeiro contato com frutas e verduras foi na feira certamente, e por mais que eu tenha um pontada de inveja de quem nasceu e brincou no campo, na terra vermelha, no pasto, não sou de não me orgulhar das minhas raízes e do fato de eu ter catado muito tatu bola no jardim do prédio.

Quando criança tive oportunidade de visitar sítios de amigos e participar de algumas excursões escolares para as áreas rurais. Por isso que já colhi amora no pé, vi melancias crescendo na terra, xuxu na cerca, plantações de milho e muita, mas muita cana de açúcar.

Ribeirão Preto, Serrana, Monte Sião, Atibaia, Itu, Piracicaba e São Pedro são algumas das cidades que habitam essas lembranças.

Hoje em dia tenho minha horta de apartamento onde cultivo manjericão, alecrim, sálvia, dois tipos de hortelã, capim limão e lavanda. E dada toda essa minha experiência seria mais justo dizer que eu planto e depois de alguns meses mato minhas ervas.

Mas eis que fim de semana passado fui passear no interior. Bateu uma nostalgia. Seriam de outras vidas?

O passeio estava ótimo até meus conhecimentos serem postos à prova. Falhei ao tentar identificar um pé de goiaba, outro de carambola. E jura mesmo que aquilo é mamão e não jaca?

Pelo menos o MIMO já me deu uma lição: nêsperas, ou ameixas-amarela. O pé tá carregado, lindo de ver. Para que eu não saia colhendo antes da hora (e mate meus clientes já que o fruto jovem tem cianeto – assim diz o Wikipedia) ou deixe as frutas apodrecerem no pé, alguém do interiô não quer vir aqui dar uma ôiadinha?

Ou ainda alguma avó com uma receita imperdível de compota das frutinhas? Belo mimo para os clientes do MIMO não?

 

Ahhh a roça…

 

E já que toquei no assunto, você já ouviu falar de culinária ítalo-caipira? Não? Então suspire fundo porque você está prestes a ser apresentado a um grande restaurante, pilotado por um grande Chef de Cozinha. O recém aberto e ótimo Attimo do Jefferson Rueda.

Faça reserva porque lota. E não é para menos. Comida intensa, com personalidade. Combinações perfeitas para paladares paulistas: remete de forma sofisticada às nossas raízes caipiras e italianas. Ambiente agradável e classudo sem ser esnobe. Sou só elogios. Já almocei e jantei lá, e pretendo voltar sempre que puder.

Grande retorno do Rueda! Parabéns e sucesso à nova casa.

Na certa ele ouviria a música abaixo acompanhado de uma de suas cachaças servidas especialmente na casa.

E por falar em Instagram

Publicado em

Acabei de citar o Instagram no post anterior e nem sequer mencionei o quão viciada sou nesse Aplicativo.

Já que minha página pessoal é privada acabei criando uma para o MIMO. Até que resisti por um bom tempo pensando que seria melhor divulgar fotos só quando o restaurante estivesse aberto: comidas apetitosas, ambiente descontraído, pessoas felizes… típica propaganda. Porque não?

Só que vício é vício e a conta foi criada antecipadamente.

Se você quiser já ir seguindo algumas das fotos da produção da casa vá lá: @restaurantemimo. Muitas delas eu acabo publicando aqui mesmo, mas se você me pegar um dia inspirada pode até se divertir.

 

 

Aqueles dias…

Publicado em

Já reclamei de algumas coisas aqui não? É a sina de uma obra civil. Mas e aquele dia em que quem faz a(s) bobagem(ns) é você mesmo?

Tem a máxima de que estamos aí pra errar e aprender com os erros, ou ainda a evoluir com a experiência, que é melhor errar tentando do que não se arriscar. OK, acredito fielmente nesta última só que fico muito puta… e nem me venha com esse blá blá blá todo pra amenizar.

Talvez depois de um tempo (muito tempo) eu consiga olhar pra trás e tirar algo bom das minhas cagadas (ops!). Enquanto isso, quando a única a culpar por uma M… sou eu mesma, ahhh amigos, é difícil não me xingar com raiva no coração.

O grande problema é que quanto mais putos estamos, pior o raciocínio fica e aí vem o encadeamento de bobagens. Dá vontade mesmo de voltar pra casa e dormir pra recomeçar só no outro dia.

Mas já que ainda não inventaram o Ctrl+Alt+Del dos humanos, eu me socorro na pausa para o café. O que vocês fazem nessa hora (ou vai dizer que só eu acordo com o pé esquerdo e o cérebro debilitado)?

Levanta da cadeira menina! Desce as escadas, respira um ar quase puro, toma um café, dois, três, liga o YouTube, comenta um post do Facebook, conta até dez, olha o Instagram, conta uma piada e tenta tudo de novo.

Pelo menos eu não fui a única hoje… Cadê o telefone do MIMO que instalaram ontem e funcionava perfeitamente? Alguém mexeu nas fiações e a comunicação se foi.

Boa noite!

O ataque das lagartas

Publicado em

Se me perguntam se eu amo a natureza não vou responder de pronto nem sim nem não, vou perguntar o que querem dizer com isso.

Amo a natureza no sentido que eu mesma faço parte dela (momento egoísta do dia).

Não sou ativista, não sou radical e faço muitas concessões em prol do conforto. No entanto não só amo a natureza como acredito estar cuidando do meio ambiente ao meu alcance quando reciclo meu lixo, uso sacolas retornáveis, compro alimentos orgânicos e locais sempre que possível, não desperdiço água, armazeno água das chuvas para uso geral, não jogo lixo nas ruas, limpo os bueiros da frente do meu imóvel daqueles que não têm a mesma educação em relação ao lixo, e por aí vai.

Mas eis que este meu amor pela natureza foi colocado à prova há umas semanas quando lagartas invadiram a área externa do MIMO. O pior. Não uma nem duas, algumas… E lá fui eu no Google pesquisar: seria uma praga? é normal da época e daqui a pouco terei lindas borboletas sobrevoando o restaurante? devo fazer algum controle? como fazê-lo?

Nem todas as respostas eu achei. Se alguém entender do assunto por favor me dê uma luz, mas pelo visto vou ter sim que me valer de certos controles de pragas nas árvores, afinal esse é um local onde se serve comida e os bichinhos não são exatamente fofinhos, certo?

Pois é. O amor, neste caso, não é cego. E se eu não posso acelerar o processo da natureza e transformá-las logo em borboletas, o amor à natureza só vai sobreviver com esses bichinhos passeando em outro sítio.