Mês: Setembro 2012

Tá calor

Publicado em

Oficialmente estamos ainda no inverno, certo? E essas temperaturas acima de trinta graus todo santo dia só me fazem cada vez mais refletir na quase impossibilidade de cardápios sazonais de acordo com a estação do ano. Inclusive já falei deste assunto aqui há mais de um ano (provavelmente em outro inverno que não foi inverno).

Para não me repetir vou na verdade citar o que tem sido meu cardápio dos sonhos desse inverno e vocês me dizem se não está ótimo para compor as dicas para impressionar nos almoços das férias de verão:

  1. Flan de legumes;
  2. Tabule;
  3. Beringelas Assadas com Iogurte de açafrão (receita do “Ottolenghi – The Cookbook”);
  4. Aspargos, funcho e azeite de gergelim;
  5. Gazpacho (já segui receitas de tantos livros diferentes que hoje faço na raça, sem qualquer medida ou receita. Vou provando até achar que está aprovado pelo meu paladar – claro que nunca fica um idêntico ao outro);
  6. Bruschettas de tomate, feta e azeitonas;
  7. Palmito pupunha assado com azeite de ervas (uso infusão de azeite com qualquer erva que estiver a disposição – e muito sal grosso);
  8. Arroz Selvagem com carne desfiada servida em papaia (receita do livro “Quem tem pressa come cru” do Wessel);
  9. Pasta ao pesto (qualquer pasta e não só o pesto original como aquele de rúcula com nozes pecan);
  10. Samosas;
  11. Rolinhos de pato à Pequim;
  12. Atum com crosta de pistache e molho de abacate (de novo receita do “Ottolenghi – The Cookbook”);
  13. Sorbets de qualquer fruta, com calda de chocolate porque não sou de ferro.

E para beber? Vinhos Brancos! De Riesiling a Chardonnay. Sempre bem gelado. Confesso que em casa, dependendo do calor, ainda cometo o sacrilégio de por umas pedrinhas de gelo na taça.

 

Tostando.

 

Anúncios

Não gostei mas gostei

Publicado em

Um dos itens que mais demorou para ficar pronto na obra do MIMO foi a porta da entrada principal. Quer dizer, não só a porta, como também os painéis do bar, todos revestidos de placas de cobre a formar um mosaico.

Desde o início do projeto pouco eu sabia da decoração do ambiente e tudo que eu queria era um painel de cobre com grandes triângulos recortados. E não foi fácil achar um marceneiro + serralheiro que aceitasse o trabalho.

Pois bem. Ontem chegaram aqui a porta e uma parte do painel do bar. O painel mandei voltar pelo mesmo caminho que veio. A porta acabei acatando. O que está errado? Minhas aulas de geometria me ensinaram que triângulo é a figura que ocupa o espaço interno limitado por três linhas retas que concorrem, duas a duas, em três pontos diferentes formando três lados.

Como o arquiteto não fez o desenho com a paginação dos triângulos da porta principal, aceitei de boa vontade a liberdade artística do marceneiro ainda que eu tenha pedido para ele adaptar os desenhos dos triângulos do painel para a porta, ajustando as medidas.

Já o painel, cujo desenho com paginação foi encaminhado, não tem desculpas. Aceito triângulos escalenos, isósceles e até equiláteros, mas não retângulos, losangos e outras figuras geométricas que nem sei nominar. Combinado?

 

Respira e entra pela porta com o pé direito vá.

The book is on the table

Publicado em Atualizado em

Faz um bom tempo que não sento pra ler um livro. Sou assim. Tem épocas que devoro uns três concomitantemente, depois fico uns meses sem ler usando meu tempo livre para outras atividades que eu também adoro como ver filmes: velhos, novos, lançamentos…

Mas eis que resolvi dar uma ajeitada na biblioteca de casa e trouxe uns livros pro MIMO que gosto de consultar. Como o espaço aqui é pequeno, a biblioteca também o será, ou melhor, terá seu acervo rotativo.

O que eu trouxe?

Brasil a Gosto, da Ana Luiza Trajano;

Roger Vergés’s New Entretaining in the French Style, pelo próprio Vergé;

Nobu, The Cookbook;

Del Anticucho y de las entradas calientes, de Gastón Acurio;

Ingredientes, de Louke Werle e Jill Cox;

Receitas Especiais sem Glúten, sem Trigo, ou sem Laticínios, de Grace Cheetan.

Recomendo todos eles. Em especial o Brasil a Gosto que não só me faz recordar os deliciosos almoços que já fiz nesse restaurante como também nutre minha eterna inquietação de viajar pelo Brasil. As fotos são divinas, o trabalho de pesquisa emociona. Não é um livro de receitas, é bom avisar. Não é um livro de grandes prosas. É um livro visual, uma provocação dos sentidos. São pitadas do nosso enorme Brasil com toda poesia que uma bela fotografia pode revelar.



A churrasqueira. Fail.

Publicado em

Da empolgação à irritação. Tudo começou quando eu resolvi comprar uma dessas churrasqueiras a gás para colocar na laje da horta do MIMO. Que ambiente acolhedor teremos para reuniões fechadas, pequenos eventos, almoços e jantares degustação: uma mesa ao ar livre, uma horta e uma churrasqueira para finalização de grelhados. Empolguei!

Pesquisei modelos, preços, condições, pré-requisitos e optei pela compra da churrasqueira de fabricação da americana Char-Broil, modelo Silver Red. Sabem como optei por ela? Pelo custo benefício que achei justo e pelo fato do vendedor da loja Center Garbin (revendedor da marca) ter me garantido que a churrasqueira foi feita para ficar ao ar livre.

E eu perguntei: mas ela pode ficar ao tempo mesmo? E ele: sim, você pode colocar uma capa protetora para os dias de chuva, mas ela foi projetada para ficar ao tempo, o uso dela é ao ar livre.

Pois bem, paga a mercadoria, agendaram a entrega e a instalação.

Ontem recebo o simpático rapaz da Char-Broil que vem instalar meu brinquedo novo. Eis que seu semblante muda e assim me diz: mas você não pode colocar essa churrasqueira numa área totalmente aberta, sem nenhuma proteção. Como?!?! Ela é de inox, e o inox ao tempo estraga (bom existem muitos tipos de liga de inox, mas…). Não vamos poder dar garantia, ela vai se deteriorar muito rápido.

Ligamos de volta ao vendedor da Center Garbin que continuou com o mesmo discurso da venda, contrariando o representante da marca. Em quem você acredita nesta hora? Alguns diálogos depois, fiquei com a palavra do representante da Char-Broil, mas relativizei:

OK, então vamos colocar a super capa protetora que vocês dizem que tem e eu assumo que a durabilidade da minha será menor. Vendedor da Center Garbin, você me manda esta capa que você afirma possuir? Sim, mas ela tem um custo. Custo?!? Não, não aceito. Você me vendeu a mercadoria com uma qualidade que ela não tem e agora vai me cobrar o preço da capa que só vai amenizar o meu problema mas não é suficiente para que a Char-Broil me garanta a qualidade do equipamento? Me desculpe, mas acho que mereço essa capa de cortesia. Ou então você leva a churrasqueira embora e me devolve o dinheiro.

O que eles optaram? Por levar embora a churrasqueira. Pois bem. Assim feito. Perdi meu brinquedo, mas não meus princípios de boa-fé numa transação comercial.

Pode ser até que eu adquira novamente a churrasqueira, mas em outra loja, com outro representante melhor orientado, com alguém que entenda as minhas expectativas e necessidades e saiba vender o produto ideal, ou saiba me alertar para os problemas que eu possa vir a ter.

Assim que se é ético, ou não?

Nova Aparência

Publicado em Atualizado em

Bem amigos da Rede Globo, a cara deste blog mudou um pouquinho, não? A minha ideia era já colocar o novo logo aqui mas, pasmem, não sei fazer isso.

Eu até tentei mas ficou bem tosco. Como o site todo deverá entrar no ar logo logo e este blog será só mais um dos atrativos da página final, abdiquei da tentativa e vou deixar isso por conta dos profissionais contratados.

O próprio logo, vou confessar, está um pouco como a obra aqui: acabado mas não 100%. Pronta a ideia mas não pronto o manual de marca e todas as suas aplicações. Em outras palavras, nada de gráfica ainda.

Tá quase. Tudo tá quase aqui. E quem segura minha ansiedade hein?

Nem o meu novo domicílio, vulgo cafofo, está 100%. Quem vê uns fios pendurados pelas paredes?

E sabem porque ainda tem fios?

Por que falta a instalação do sistema de som. Mas isso não significa que no cafofo as trilhas sonoras já não rolem a vontade, coisa que os leitores daqui já sabem, certo?

E essa vai inspirada na minha última ida ao cinema.